Gebrselasie quebra o próprio recorde mundial na maratona em Berlim

O etíope Haile Gebrselasie repetiu o que fez há um ano em Berlim e,
novamente, quebrou o recorde mundial da maratona ao vencer a prova na
capital alemã neste domingo. Ele melhorou o seu próprio tempo e
conseguiu correr os mais de 42 km em 2h03min59s.

Em 2007, o fundista africano havia feito 2h04min26s e tinha tomado a
marca do queniano Paul Tergat. "Hoje (domingo) foi perfeito", disse o
empolgado Gebrselasie, de 35 anos, que se tornou o primeiro a vencer a
corrida por três vezes.

No Portão de Brandemburgo, o etíope cruzou a linha de chegada sob
aplausos do público e ainda comentou que uma contusão quase o
atrapalhou para chegar à nova marca. "Eu tinha um pequeno problema no
músculo da minha panturrilha e parei de treinar por uma semana. Só
retornei na semana passada. Então hoje vim aqui com algumas dúvidas na
cabeça. Mas foi tudo ótimo", explicou.

Mesmo com a lesão, Gebrselasie melhorou em quase meio minuto seu tempo
de 2007 e passou a barreira das 2h04min pela primeira vez na história.
"Antes de eu vir para cá, eu sabia que podia fazer algo em Berlim
porque desde que comecei a correr aqui é minha cidade da sorte",
afirmou o corredor, que foi ovacionado pelos alemães.

EVOLUÇÃO DA MARCA
2h08min13s – Alberto Salazar (EUA), 1981
2h08min05s – Steve Jones (GBR), 1984
2h07min12s – Carlos Lopes (POR), 1985
2h06min50s – Belayneh Dinsamo (ETI), 1988
2h06min05s – Ronaldo Da Costa (BRA), 1998
2h05min42s – Khalid Khannouchi (MAR), 1999
2h05min38s – Khalid Khannouchi (EUA), 2002
2h04min55s – Paul Tergat (QUE), 2003
2h04min26s – Haile Gebreselassie (ETI), 2007
2h03min59s – Haile Gebreselassie (ETI), 2008

Na evolução do recorde mundial, Tergat correu em 2h04min55s, sendo o
primeiro a correr abaixo dos 2h05min, cinco anos atrás. Gebrselasie,
que neste domingo, baixou em quase um minuto esta marca de Tergat
correu em Berlim em 2006 em 2h05min56, um ano anos antes de bater a
primeira vez o recorde mundial.

Vencedor dos 10.000 m nas Olimpíadas de 1996 e 2000, o etíope começou
a se dedicar à maratona depois de inúmeros recordes nas provas de
fundo na pista, inclusive nos 5.000 m.

Nas Olimpíadas de Pequim, Gebrselasie não participou da maratona. Com
medo da poluição da capital chinesa, o corredor preferiu se poupar de
uma possível crise respiratória.

Na corrida feminina em Berlim, a alemã Irina Mikitenko venceu, bateu o
recorde nacional e conseguiu a quarta melhor marca da história com
2h19min19s. Askale Magarsa, da Etiópia, ficou em segundo com
2h21min31s e Helena Kirop, do Quênia, foi a terceira com 2h25min01s.


Prof. Darwin Ianuskiewtz
Araraquara – SP
www.profdarwin.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.