Quenianos dominam maratona de Berlim

A campeã olímpica Mizuku Noguchi foi a vencedora entre as mulheres da
maratona de Berlim – com um novo recorde asiático de 2h19m12s -,
enquanto que entre os homens Phlip Manyim liderou um pódio queniano –
com 2h07m41s – seguido por Peter Chebet e Jackson Koech.

Noguchi não teve rival ao longo da corrida e se impôs na prova
berlinense, deixando suas rivais na luta pelo segundo lugar na qual se
impôs a alemã Luminita Zaituc.

Entre os homens, por outro lado, as coisas só começaram a se resolver
depois da metade da maratona, onde as lebres levaram a um grupo de
ponta cheio de quenianos acompanhados pelo brasileiro Rômulo da Silva,
que foi o único capaz de seguir o ritmo dos africanos.

Então, Manyim conseguiu abrir uma distância para seus perseguidores.
Nos últimos cinco quilômetros, ele desacelerou um pouco, mas ninguém
conseguiu alcançá-lo.

Nos últimos metros era possível ver que o queniano estava correndo no
limite. “Após ficar sentado por três minutos, sinto-me agora um pouco
melhor”, disse Manyim para expressar sua fadiga no final da corrida.

No entanto, entre seus perseguidores o drama era ainda maior.

Jackson Koech, que tinha ocupado o segundo lugar durante os últimos
quilômetros, teve uma crise a poucos metros da fita e teve que deixar
passar Peter Chebet.

A única reação da qual foi capaz Koech foi olhar para trás, para ver
se alguém podia ameaçar seu lugar no pódio. Ao sentir-se seguro, deu o
último impulso e ao chegar à fita recebeu ajuda para não cair.

Essa foi a sétima vitória queniana consecutiva na maratona de Berlim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.