Acervo pessoal a venda.

Colegas….
 
Depois de 29 anos nas leituras…Mestrado, Doutorado e concursos….chegou a hora de limpar os armários.

Quero pedir licença para oferecer meu acervo que está sendo colocado aos poucos no Mercado Livre…todos em bom estado…..
 
As obras que usamos no Doutorado (Imagem corporal) são bem interessantes….
 
Os livros são da Peadagogia – Ed. Física – Esporte – Saúde – Fisiologia – Gin Academia – Musculação – Treinamento e Nutrição..e
outros….todos em ótimo estado de conservação.
 
Pagto pelo Mercado Pago no Cartão em até 12x ou a vista com depósito em conta corrente….
 
Não é pacote…os livros são oferecidos separadamente.
 
Vale a pena dar uma olhada diariamente ou ao final de cada semana….
 
 
[ ]s a todos e boa leitura.
 
Prof. Dr. Darwin Ianuskiewtz
Araraquara – SP
www.curso-ead.com

Maurren é bronze em Doha, e resultado agrada técnico

A primeira competição internacional de Maurren Higa Maggi na temporada
terminou com a brasileira na terceira posição da final do salto em
distância. Ela ficou com a medalha de bronze no GP de Doha, disputado
nesta sexta-feira, com um salto de 6,90m.

A campeã olímpica ficou atrás das norte-americanas Brittney Reese, com
6,99 m, e Funmi Jimoh, com 6,96 m. Apesar de não ter vencido, a
performance de Maurren chamou a atenção, pois ela realizou três dos
quatro saltos na prova acima dos 6,80 m. Na primeira tentativa, ela
fez 6,88 m, ficou sete centímetros abaixo na segunda chance e fez 6,90
m na terceira. No último salto, a brasileira queimou e acabou com o
bronze.

Além de Maurren, o Brasil teve na competição a presença de Keila
Costa, que terminou em quinto lugar, com 6,68 m. A pernambucana
superou o índice exigido pela Confederação Brasileira para ir ao
Mundial (6,67 m), mas ainda precisa obter o índice A da Iaaf, que é de
6,72 m para garantir o lugar na competição de Berlim.

O técnico Nélio Moura ficou satisfeito com a performance de Maurren em
sua estreia internacional no ano. "Fiquei bem contente com o
resultado. No ano passado, ela abriu o calendário dela em Doha mesmo e
fez 6,75 m. A Keila também foi bem, com 6,68 m. Não esperava que elas
fossem tão bem", avaliou o treinador.

Antes de Doha, a campeã olímpica cogitou participar de um evento em
Paris, mas teve de desistir na última hora após sentir dores no
joelho. "Ela ainda teve um incômodo no pé há três semanas, mas são
coisas de treino. O resultado dela foi bastante consistente e vimos
que isso é o principal. No ano passado, ela também fez isso e o grande
salto veio em Pequim. O bom é que também a Maurren ficou na frente da
Naide Gomes (portuguesa, campeã mundial indoor em 2008), que é a
grande adversária dela", destacou Nélio.

Maurren já retorna neste sábado ao Brasil e descansa três dias antes
de iniciar sua preparação para o GP do Rio de Janeiro, que será
disputado em 17 de maio.

Decepção para Jadel: Se Maurren subiu ao pódio no Qatar, Jadel
Gregório decepcionou e foi o último colocado entre os participantes do
salto triplo, com 15,33 m, tendo apenas uma tentativa validada. Os
outros três saltos foram queimados.

A vitória na prova foi do francês Julien Kapek, com 16,64 m, cinco
centímetros a mais que Leevan Sands, de Bahamas, que foi medalha de
bronze em Pequim-2008.

Outro destaque individual foi a croata Blanka Vasic, que venceu a
final do salto em altura, com 2,05 m. Ela tentou ainda estabelecer o
novo recorde mundial, mas fracassou nas três tentativas de superar o
sarrafo a 2,10 m.

Maurren é bronze em Doha, e resultado agrada técnico

A primeira competição internacional de Maurren Higa Maggi na temporada
terminou com a brasileira na terceira posição da final do salto em
distância. Ela ficou com a medalha de bronze no GP de Doha, disputado
nesta sexta-feira, com um salto de 6,90m.

A campeã olímpica ficou atrás das norte-americanas Brittney Reese, com
6,99 m, e Funmi Jimoh, com 6,96 m. Apesar de não ter vencido, a
performance de Maurren chamou a atenção, pois ela realizou três dos
quatro saltos na prova acima dos 6,80 m. Na primeira tentativa, ela
fez 6,88 m, ficou sete centímetros abaixo na segunda chance e fez 6,90
m na terceira. No último salto, a brasileira queimou e acabou com o
bronze.

Além de Maurren, o Brasil teve na competição a presença de Keila
Costa, que terminou em quinto lugar, com 6,68 m. A pernambucana
superou o índice exigido pela Confederação Brasileira para ir ao
Mundial (6,67 m), mas ainda precisa obter o índice A da Iaaf, que é de
6,72 m para garantir o lugar na competição de Berlim.

O técnico Nélio Moura ficou satisfeito com a performance de Maurren em
sua estreia internacional no ano. "Fiquei bem contente com o
resultado. No ano passado, ela abriu o calendário dela em Doha mesmo e
fez 6,75 m. A Keila também foi bem, com 6,68 m. Não esperava que elas
fossem tão bem", avaliou o treinador.

Antes de Doha, a campeã olímpica cogitou participar de um evento em
Paris, mas teve de desistir na última hora após sentir dores no
joelho. "Ela ainda teve um incômodo no pé há três semanas, mas são
coisas de treino. O resultado dela foi bastante consistente e vimos
que isso é o principal. No ano passado, ela também fez isso e o grande
salto veio em Pequim. O bom é que também a Maurren ficou na frente da
Naide Gomes (portuguesa, campeã mundial indoor em 2008), que é a
grande adversária dela", destacou Nélio.

Maurren já retorna neste sábado ao Brasil e descansa três dias antes
de iniciar sua preparação para o GP do Rio de Janeiro, que será
disputado em 17 de maio.

Decepção para Jadel: Se Maurren subiu ao pódio no Qatar, Jadel
Gregório decepcionou e foi o último colocado entre os participantes do
salto triplo, com 15,33 m, tendo apenas uma tentativa validada. Os
outros três saltos foram queimados.

A vitória na prova foi do francês Julien Kapek, com 16,64 m, cinco
centímetros a mais que Leevan Sands, de Bahamas, que foi medalha de
bronze em Pequim-2008.

Outro destaque individual foi a croata Blanka Vasic, que venceu a
final do salto em altura, com 2,05 m. Ela tentou ainda estabelecer o
novo recorde mundial, mas fracassou nas três tentativas de superar o
sarrafo a 2,10 m.