Shazam iD

 

ShazamiD enables users to find out what music is playing whenever and wherever they are. The application takes a 10 second recording of the music, connects to Shazam to find a match and displays the result together with a picture of the album artwork and any products available to buy relating to that track. Users can share their music iD’s (tags) as well as manage their list of tags within the application. Users can also see an aggregated chart (Tag Chart) of all the music people have been tagging using Shazam in the UK.


Compatible phones:
Nokia E50, Nokia E60, Nokia E61, Nokia E61i, Nokia E62, Nokia E65, Nokia E70, Nokia E90, Nokia N71, Nokia N73, Nokia N75, Nokia N76, Nokia N77, Nokia N80, Nokia N91, Nokia N92, Nokia N93, Nokia N93i, Nokia N95 , Samsung SGH-i520

Download
Shazam iD Continuar lendo

A melhor escola do mundo

Fonte: Thomaz Favaro, Revista Veja, Edição 2048
Como a Finlândia criou, com medidas simples e focadas no professor, o mais invejado sistema educacional

Quem entra numa escola na Finlândia se espanta com a simplicidade das instalações. Era de esperar que o sistema educacional considerado o melhor do mundo surpreendesse também pela exuberância do equipamento didático. Na verdade, na escola Meilahden Yläaste, em Helsinque, igual a centenas de outras do país, as salas de aula são convencionais, com quadro-negro e, às vezes, um par de computadores. Apesar do despojamento, as escolas finlandesas lideram o ranking do Pisa, a mais abrangente avaliação internacional de educação, feita pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). O último teste, em 2006, foi aplicado em 400 000 alunos de 57 países. O Brasil disputa as últimas posições com países como Tunísia e Indonésia.

O segredo da boa educação finlandesa realmente não está na parafernália tecnológica, mas numa aposta nas duas bases de qualquer sistema educacional. A primeira é o currículo amplo, que inclui o ensino de música, arte e pelo menos duas línguas estrangeiras. A segunda é a formação de professores. O título de mestrado é exigido até para os educadores do ensino básico. Dar ênfase à qualidade dos professores foi um dos primeiros passos da reforma educacional que o país implementou a partir dos anos 70, e é nesse quesito que a Finlândia mais tem a ensinar ao Brasil.

Quarenta anos atrás, metade da população finlandesa vivia na zona rural. A economia era dependente das flutuações do preço da madeira, já que 55% das exportações vinham da indústria florestal. Além dos bosques que cobrem 75% do território, o país só tinha a oferecer sua mão-de-obra barata. Os finlandeses emigravam em massa para vizinhos ricos, como a Suécia, em busca de melhores condições de vida. Preocupados com a má qualidade das escolas públicas, os pais estavam transferindo os filhos para instituições privadas de ensino. Em alguns desses aspectos, a Finlândia se parecia com o Brasil. A reforma educacional colocou a qualificação dos professores a cargo das universidades, com duração de cinco anos. Hoje, a profissão é disputadíssima (só 10% dos candidatos são aprovados) e usufrui grande prestígio social (é a carreira mais desejada pelos estudantes do ensino médio).

O segundo passo da reforma, em 1985, foi descentralizar o sistema de ensino. Por esse conceito, o professor é o principal responsável pelo desempenho de seus alunos: é ele quem avalia os estudantes, identifica os problemas, busca soluções e analisa os resultados. O Ministério da Educação dá apenas as linhas gerais do conteúdo a ser lecionado. “Isso só é possível porque os professores recebem um treinamento prático específico para saber lidar com tanta independência”, disse a VEJA Hannele Niemi, vice-reitora da Universidade de Helsinque, que trabalha com a formação de professores há três décadas. O currículo escolar também é flexível, decidido em conjunto entre professores, administradores, pais e representantes dos alunos. A cada três anos, as metas da escola são negociadas com o Conselho Nacional de Educação, órgão responsável por aplicar as políticas do ministério.

“Queremos que os professores e os diretores, que conhecem o dia-a-dia da escola, sejam responsáveis pela educação”, diz Reijo Laukkanen, um dos membros mais antigos do Conselho Nacional de Educação.

TV vai para a tela do PC

 
Fonte: Eduardo Travassos (etravassos@jc.com.br), Jornal do Commercio de 20.02.2008
Computador cada vez mais desbanca televisão e rádio como central de diversão da família, ocupando espaço cativo na sala de estar

Imagine um televisor que, além de exibir a programação local, mostra também muitos canais internacionais. Com rádio incluso, acessa FMs e AMs de todo o planeta, além de possuir DVD player embutido e acesso à internet, tudo com qualidade de som e imagem. Um televisor como esse pode existir, mas ainda está longe do alcance da maioria das pessoas. Quem não está tão distante disso são os computadores com foco em entretenimento multimídia, que realizam todas essas funções e um pouco mais. A cada dia que passa, os micros passam a competir com a TV e todos os aparelhos de entretenimento da casa, ganhando espaço cativo na sala de estar.

Para conseguir uma central de entretenimento completa, o usuário certamente deverá gastar alguns bons reais em um upgrade. Entre as peças que devem ser incluídas no pacote, estão placas de som, vídeo, memória RAM e processador, e quem sabe até um drive de mídia novo, no formato Blu-ray – desenvolvido pela Sony e vencedor da guerra com o HD-DVD, da Toshiba. Porém, também existem muitas opções gratuitas para quem quer assistir a um bom programa na frente do micro. É possível encontrar, por exemplo, softwares gratuitos que permitem assistir a canais de televisão famosos pelo computador, sem a necessidade de mais um hardware ou conexão. A transmissão é feita por streaming ou download, permitindo assim várias opções para os mais variados gostos. O único porém é a necessidade de conexão em banda larga com a internet, para possibilitar uma fluidez melhor das informações.

As rádios online também são uma boa pedida para quem não quer gastar dinheiro com placas de som novas. Gratuitas, elas possuem uma qualidade muito boa, já que, em sua maioria, possuem sinal digital. É possível encontrar programação para os mais diversos estilos, o que garante uma forma de distração que muitas vezes passa despercebida pela maioria. Em uma só página da internet, por exemplo, é possível achar mais de dez mil estações diferentes, do Brasil e do exterior.

Já quem acha que deve investir um pouco mais nesse entretenimento no PC pode adquirir desde monitores que já possuem sintonizadores de TV e preparação para exibição de conteúdo em alta definição a caixas de som mais modernas, passando por um player de discos Blu-ray. Gastos assim podem sair caros em princípio, mas podem garantir também momentos de conforto e de qualidade em som e imagem.

Quem preferir pode comprar logo outro PC, preparado especialmente para diversão. Apelidados de media center, esses computadores possuem características específicas para quem quer ver filmes, ouvir música ou guardar suas gravações e fotos digitais, como placas de som mais sofisticadas, saídas para TV e softwares específicos para o entretenimento, como o Windows Media Center, presente no Windows Vista Premium e Ultimate. Agora, é preparar a pipoca, conferir a programação e aproveitar.

Seus programas preferidos no PC ii

Internet oferece várias opções de softwares e sites para quem quer assistir a canais de televisão no computador ou baixar vídeos sob demanda

Com a velocidade das conexões com a internet crescendo cada vez mais, a vontade de assistir a televisão pela web cresce na mesma proporção. Para alegria dos mais entusiasmados, alguns softwares e sites já permitem que internautas assistam ao conteúdo de um determinado canal em tempo real, ou seja, simultaneamente à transmissão dos programas para televisores. Outros possibilitam fazer o download posterior da programação a que o usuário não teve condições de assistir. A melhor parte: tudo isso está disponível gratuitamente.

Além do famoso YouTube, existem outras opções de vídeo sob demanda na web. Entre elas, o software Joost é uma boa opção. Com vários canais com focos e interesses diferentes, o programa possui centenas de gravações sobre os mais variados assuntos, passando por esportes, música, comédia, notícias e desenhos animados. Também possui filmes completos, sendo a maioria independente, e alguns licenciados pela Paramount Pictures.

O programa possui visual bonito e os vídeos são exibidos em resolução razoável até em tela cheia. Os canais não são os encontrados normalmente nas TVs aberta ou fechada, tornando-se uma boa opção para quem já está enjoado dos programas atuais. Gratuito, o Joost exige apenas um cadastro, com nome, e-mail e data de nascimento. Pode ser baixado no www.joost.com. Pede, no mínimo, um Pentium 4 com 1 GHz, 512 MB de RAM e conexão rápida à internet.

O estudante Álvaro Maia, 26 anos, conhece o Joost há algum tempo. “Deixo o software carregando os programas de TV e saio. Quando volto, assisto ao conteúdo escolhido, sem problemas. Sempre foi muito tranqüilo”, revela. Segundo o internauta, a maior vantagem do emulador de TV na web é a liberdade: “É muito bom você poder escolher a hora em que quer assistir à sua programação. Eu vejo os programas quando quero, não tem horário certo”, afirmou, apontando um dos principais atrativos que a TV via internet oferece aos seus usuários.
Já o site TV Freeload (www.tvfreeload.com) não oferece conteúdo original, mas reúne em um só local várias opções de links para download de programas de TV famosos. Séries como Lost, Heroes e Smallville podem ser encontradas com temporadas completas e download por site de compartilhamento de arquivos, como Rapidshare, sem necessidade de download de um software adicional. Vale salientar que a página não hospeda os episódios, apenas agrupa os links para download. Os filmes, assim como o site, estão em inglês.

Apesar de possuir a mesma sigla da TV Universitária, o TVU Networks nada tem a ver com o canal pernambucano. A empresa oferece um player que, depois de baixado, dá acesso a canais de TV conhecidos, como Disney, FOX e ESPN. Da mesma forma, muitos outros canais desconhecidos também podem ser vistos, completando um bom leque de opções. Do Brasil, é possível assistir a canais como TV Amaury Júnior e TV Transamérica, entre outras opções. Também pede conexão à internet com banda larga, para a programação ser exibida sem paralizações.

Um diferencial interessante do software é a área de bate-papo disponível no programa. Nela, pessoas de todo o mundo trocam informações sobre a programação e os melhores canais. O TVU Networks pode ser encontrado no www.tvunetworks.com.
Por outro lado, vários sites oferecem o conteúdo dos canais de TV oficiais, muitas vezes sem o conhecimento deles. Transmitindo direto da página, sem a necessidade de baixar um novo software, os programas exibidos não possuem imagem muito nítida, além de ter problemas constantes de conexão.

As dificuldades começam quando esses sites disponibilizam programas que são pagos, como acesso a reality shows como Big brother brasil, da Rede Globo. Não é difícil encontrar páginas que oferecem (ou prometem) acesso às câmeras do programa televisivo, “hackeando” o sinal do portal Globo.com e o oferecendo de graça. “Em casos assim, há uma infração à lei de direitos autorais. O conteúdo de uma emissora só pode ser disponibilizado com prévia autorização do canal”, explica o advogado especialista em direitos autorais na internet, José Pinteiro Bisneto.

Os direitos autorais de programas televisivos na internet, por sua vez, vêm ganhando destaque depois que os roteiristas de Hollywood entraram em greve por não conseguirem negociar com os estúdios sua participação nos ganhos com a web. Depois de meses parados, os profissionais voltaram ao trabalho recentemente. (E.T.)